Ministério Público denuncia empregada doméstica que torturou bebê no Rio

Entre março e junho deste ano, babá torturou física e psicologicamente criança

estadão.com.br,

24 Agosto 2011 | 09h06

SÃO PAULO - O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) denunciou, nesta terça-feira, 23, a empregada doméstica Leila Vanelli Ferreira por crime de tortura contra um bebê, na Barra da Tijuca, zona sul da cidade. O órgão também pediu a prisão preventiva dela.

Segundo a denúncia, Leila submeteu o bebê de 1 ano e meio de idade a torturas físicas e psicológicas, entre março e junho deste ano, período em que trabalhava como babá na casa da vítima.

 

As agressões consistiam em intimidação verbal, puxões de cabelo, beliscões fortes no rosto e no corpo, empurrões, socos na cabeça e nos olhos.

 

Os pais da criança desconfiaram das agressões ao observar o comportamento alterado do bebê e ao presenciarem um empurrão proposital da empregada na vítima. Caso condenada, a doméstica poderá cumprir de 4 a 8 anos de prisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.