Ministério Público do Rio denuncia quadrilha integrada por cabo do Bope

Investigação concluiu que cabo desviava munição do arsenal da polícia

estadão.com.br,

05 Agosto 2011 | 09h40

SÃO PAULO - O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ), denunciou à Justiça 12 suspeitos pelos crimes de associação para o tráfico, formação de quadrilha e comércio ilegal de armas de fogo de uso restrito. A quadrilha foi desarticulada durante a Operação Cartucheira, no dia 26 de julho.

 

Entre os denunciados está o cabo do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar (Bope) Mauro Lopes de Figueiredo, que, segundo a investigação, desviava munição do arsenal da polícia e passava aos traficantes. Ele foi preso no último dia 20.

 

Segundo a denúncia, recebida nesta semana pelo Juiz Marcelo Alberto Chaves Villas, o policial militar "desempenha função crucial na organização criminosa". Junto com o cunhado, Alceli Coelho da Silva Júnior, ainda foragido, ele teria participado ao menos de duas negociações de armamentos com o suposto chefe do bando, Paulo Victor Petronilho Sampaio. Nessas transações, armas e munições teriam sido trocadas por drogas em morros do Rio, como a Mangueira.

 

De acordo com as investigações, a quadrilha também negociava armas de grosso calibre, munição e drogas como cocaína e crack com traficantes da Baixada Fluminense, da Mangueira e do Complexo do Alemão. A investigação começou a partir de informações sobre crimes cometidos na região de Itaboraí e já havia levado à prisão em flagrante quatro pessoas e à prisão temporária o policia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.