Ministério Público entra com ação contra auditório no Ibirapuera

O promotor de Justiça do Meio Ambiente Luiz Antônio de Souza ingressou ontem com ação contra o Estado e a Prefeitura para impedir a construção de um auditório de 4.870 metros quadrados no Parque do Ibirapuera. Provavelmente ainda nesta semana ele decidirá sobre pedido de liminar para impedir de imediato a execução do projeto que, segundo o Ministério Público (MP), causará prejuízos irreparáveis, econômicos e ao ambiente. O processo foi para o juiz Rômulo Russo Júnior, da 5.ª Vara da Fazenda Pública. Segundo o MP, a iniciativa fere a resolução de tombamento do parque, de 25 de janeiro de 1992, que impede a redução de áreas verdes. Além disso, sustenta o promotor, a resolução do tombamento impõe uma política de incentivo para a ampliação nos espaços permeáveis e áreas verdes. No inquérito civil, que precedeu a ação, o MP lembrou que a Secretaria do Verde e do Meio Ambiente desenvolveu o projeto Adote Um Parque exatamente para revitalizar os espaços verdes. A secretaria divulgou nota afirmando que "a Prefeitura aguarda pronunciamento da Justiça para saber se o pedido de liminar, foi deferido ou não. Caso seja ocorra deferimento, a Prefeitura apresentará recurso."

Agencia Estado,

26 Junho 2003 | 10h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.