Ministério Público investiga troca de bebês em Bauru

O Ministério Público (MP) de Bauru, no interior de São Paulo, pediu a exumação dos corpos de três crianças mortas há cinco anos devido a uma suspeita de troca de bebês na maternidade em que nasceram.De acordo com o Jornal Hoje, da TV Globo, em outubro de 2001 a dona de casa Vera Dutra deu à luz na maternidade Santa Isabel, em Bauru. A criança, segundo laudo médico, morreu horas depois do parto e foi enterrada na cidade vizinha, Reginópolis. "Eu perguntei sobre o sexo e ela falou: é um menino", contou a mãe. No dia seguinte, Vera, que ainda estava internada, levou um susto quando soube que o marido tinha enterrado uma menina. "Perguntei ao meu marido: ´Enterrou o menino?´ E ele: ´Não. Enterrei uma menina´", disse Vera, segundo o Jornal Hoje.A família entrou na Justiça e um exame de DNA confirmou que o corpo enterrado era de uma menina. "Naquela hora você achava que era seu filho e agora você vem descobrir que não é", disse o pai. Para acabar com a dúvida, o MP pediu a exumação dos corpos das outras três crianças que morreram na maternidade no mesmo dia que o bebê de Vera e Reginaldo. Caso o corpo não seja encontrado, a polícia irá investigar a possibilidade de a criança estar viva. A família, ansiosa, só quer que tudo seja esclarecido. "Eu quero a verdade, seja onde estiver, morto, vivo, a gente quer a verdade", disse a mãe ao Jornal Hoje.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.