Ministério Público pede intervenção em Guaribas

O promotor Ruszel Lima Verde entregou hoje ao Tribunal de Justiça um pedido de intervenção no município de Guaribas, a 653 quilômetros ao sul de Teresina, e onde foi lançado o programa Fome Zero do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelo alto índice de miséria no local. Lima Verde ainda pediu uma inspeção do Tribunal de Contas do Estado nas contas do município. Dois promotores ainda estão conduzindo um inquérito criminal para apurar várias irregularidades na aplicação dos recursos públicos de Guaribas. O pedido de intervenção feito por Ruszel Lima Verde é para 120 dias. Segundo o promotor, a cidade está um caos administrativo. "Lá não tem calçamento, não tem água, não tem médico, não tem dentista, não tem prefeitura e nem Câmara", reclamou. "Acho que este é o tempo suficiente para que o interventor, nomeado pelo governador, possa ajeitar a administração do município", comentou. Ele disse que o Tribunal de Justiça deve apreciar o pedido de intervenção para que sejam adotadas providências para regularizar a administração. "Em Guaribas a prefeitura e a Câmara Municipal não existem. Tem prefeito e tem vereadores, mas não funciona nada. A administração parte da secretaria de Finanças. A independência entre os poderes também não existe. Na verdade, não tem poder nenhum, de concreto mesmo, só na forma, não existe na prática", assinalou. O promotor lembrou que até hoje no Piauí houve três intervenções. A última foi no município de Altos, a 42 quilômetros ao norte de Teresina, em 1997. Ele tem um prazo de 30 dias para concluir o inquérito criminal. Os promotores, juntamente com policiais civis, estão colhendo testemunhos de pessoas da comunidade de Guaribas, do prefeito Reginaldo Correia da Silva, de alguns vereadores e do secretário de Educação e Finanças, Ferreira Neto. "Estamos na fase de coleta de provas", finalizou Lima Verde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.