Ministro classifica agressão em trens do Rio de 'barbárie'

Tarso Genro diz que empresa deveria ser punida, por contar com funcionários despreparados para a função

Alexandre Rodrigues, da Agência Estado,

16 de abril de 2009 | 12h01

O ministro da Justiça, Tarso Genro, classificou de "barbárie" o flagrante de violência contra passageiros nos trens urbanos do Rio. Cenas exibidas na quarta-feira, 15, pela TV Globo e gravadas em estações de trem cariocas mostraram agentes da concessionária Supervia agredindo passageiros que se apertavam com a lotação excedida nos vagões, em meio à greve dos ferroviários.

 

linkFerroviários do Rio decidem manter a paralisação

linkAcusados de agredir passageiros em estação no RJ são demitidos

 

Para o ministro, não são apenas os agentes, que foram demitidos e responderão por lesão corporal, que devem ser punidos. Para Tarso, a Supervia é responsável pela conduta deles e deve ser punida "exemplarmente".

 

"Achei uma barbárie, uma postura absolutamente inaceitável da empresa, que contratou pessoas totalmente despreparadas para controlar motins", disse o ministro, referindo-se à resistência dos passageiros ao fechamento das portas de vagões superlotados .

 

"Acho que é um péssimo exemplo e inclusive a direção da empresa tem que ser responsabilizada", disse o ministro, na saída da inauguração das novas instalações do Núcleo de Atendimento do Sistema Penitenciário (Nuspen), que servirá para a assistência jurídica a presos e familiares pela Defensoria Pública. Foram investidos R$ 1,5 milhão do Programa Nacional de Segurança com Cidadania (Pronasci) no escritório.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.