Ministro da agricultura diz que Lula fez mais do que FHC no setor

Apesar do acirramento no clima eleitoral, o ministro da Agricultura, Luís Carlos Guedes Pinto, manteve, até agora, sua agenda de trabalho, inclusive com compromissos no exterior. O aparente distanciamento do cenário político não impediu, no entanto, que Guedes e sua equipe divulgassem, sempre que possível, ações positivas do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para o setor agrícola e de fazer comparações com os governos do tucano Fernando Henrique Cardoso (1995-2002).Uma das citações preferidas do ministro é sobre a prorrogação de dívidas dos produtores rurais, além do aporte de recursos para apoiar a comercialização da safra de grãos. As autorizações feitas neste ano para prorrogação de dívidas agrícolas somam R$ 20 bilhões e outros R$ 2 bilhões foram alocados para apoiar a comercialização, relata o ministro.No começo do mês, no entanto, o ministro abandonou seu conhecido discurso didático e disse que, durante anúncio da primeira estimativa para a safra 2006/07 de grãos, que o conjunto dos indicadores da economia é mais favorável no governo Lula do que no período em que FHC ocupou a Presidência da República. "Se você pegar todos os indicadores macroeconômicos, você vai ver que todos eles são melhores no governo Lula do que no FHC. As comparações são extremamente positivas para o governo do presidente Lula", comentou.Recuo na produçãoO ministro fez as declarações quando questionado sobre o recuo da produção agrícola no governo Lula. De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), os produtores colherão entre 117,7 milhões e 120,6 milhões de toneladas de grãos na safra 2006/07. A maior safra colhida no País foi plantada durante o governo Fernando Henrique e colhida no governo Lula. Em 2002/03, os produtores colheram 123,2 milhões de toneladas de grãos.Desde então, a produção agrícola tem recuado por causa de problemas climáticos. A menor colheita foi de 119,1 milhões de toneladas em 2003/04. Guedes lembrou que é preciso levar em conta que a agricultura brasileira foi prejudicada nos últimos anos por problemas climáticos. "Nós tivemos uma seca que nunca houve no governo Fernando Henrique Cardoso", disse.Na última segunda-feira (16), o ministro voltou a fazer críticas indiretas ao governo FHC, durante a na 9ª Conferência Internacional de Produtos Armazenados, em Campinas (SP). Ao comentar sobre a capacidade de armazenagem ser bastante ajustada à safra prevista e sobre o setor público conseguir estocar apenas 5% do total produzido no País, o ministro disse que o cenário poderia ser pior.Guedes afirmou que nos últimos quatro anos (governo Lula) o número de armazéns do governo federal saltou de 33 para 100, o que triplicou a capacidade de estocagem pública de grãos. "Além disso, existem linhas de financiamento para o setor privado investir em estocagem dentro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES)", lembrou o ministro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.