Ministro diz que Beira-Mar não volta para o Rio

O ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, afirmou nesta segunda-feira que o traficante Fernandinho Beira-Mar "não vai mais voltar para o Rio". Bastos foi enfático ao responder sobre o destino do prisioneiro que, atualmente, ocupa uma cela na penitenciária de segurança máxima de Presidente Bernardes, no interior de São Paulo."Nós temos claramente opções estratégicas, ele não volta para o Rio." Sobre a informação de que o advogado de Beira-Mar pretende ir à Justiça para conseguir a transferência de seu cliente, o ministro declarou: "É um direito inalienável dele (do advogado), vamos ver que tribunal vai decidir isso".Depois de falar sobre reforma do Judiciário no Centro de Estudos do Tribunal de Alçada Criminal de São Paulo, o ministro revelou que o governo federal "vai manter o Exército fora das ruas (do Rio), porque o Exército não é para ficar na rua, não é para fazer o papel de polícia". Mas ressalvou: "O Exército vai ficar aquartelado, com uma equipe preparada para atuações pontuais e emergenciais".Sobre os planos para reprimir o crime organizado no Rio, Bastos informou que as Polícias Federal e Rodoviária Federal "serão reforçadas" e será mantido o Centro Operacional de Segurança Integrada (Cosi).O ministro assegurou que, além da construção de 5 presídios de segurança máxima - está pronto o projeto executivo da primeira prisão, que será erguida nos arredores de Brasília -, o governo "tem várias respostas prontas para o crime organizado"."Tem a resposta do enfrentamento com dureza, dos trabalhos de inteligência e de informação, e tem a resposta de fechar a porta da lavagem de dinheiro, que é a causa final de todo o crime organizado."Veja o especial: Veja o índice de notícias sobre o Governo Lula-Os primeiros 100 dias e os ministérios

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.