Ministro do STF critica campanha antecipada de pré-candidata do PT

"O dirigente maior do País não pode ter candidato a ponto de praticamente sair em campanha", advertiu ontem Marco Aurélio Mello (foto), ministro do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal Superior Eleitoral. "O presidente deve adotar postura equidistante. Eu fico muito triste quando vejo o que houve com a propaganda partidária do PT em termos de deturpação, que se tornou em apologia de uma pré-candidata à Presidência da República." Após evento na FMU, em São Paulo, Marco Aurélio se disse perplexo com o que classifica de campanha antecipada de Dilma Rousseff (PT). "É abandono a princípios, perda de parâmetros, inversão de valores." Ele sugere "pena mais incisiva para o beneficiário do ato ilegal, com suspensão do programa na TV". "O presidente não pode tripudiar e impor goela abaixo certa candidatura."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.