Ministro do STJ diz que condenação ainda é muito rara

O ministro Gilson Dipp, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), admitiu, na reunião de ontem da Enccla, que "são muito poucas" as condenações judiciais por crimes de lavagem de dinheiro e delitos financeiros.

, O Estado de S.Paulo

27 Novembro 2010 | 00h00

"As políticas de combate à corrupção e à ocultação de recursos ilícitos têm de ter efetividade", disse. Para Dipp, o quadro "demonstra que o sistema processual está emperrado diante da possibilidade de inúmeros recursos protelatórios, principalmente de réus ricos".

Ele revelou que existe uma "dificuldade da capacitação da magistratura" para lidar com esse tipo de crime complexo. "Quando falo de falta de capacitação, conhecimento e trato da matéria não estou falando apenas dos juízes de primeiro grau, mas também das cortes superiores, do meu STJ, do Supremo Tribunal Federal ou mesmo dos tribunais de apelação", afirmou. "Temos bons mecanismos, mas ainda não os usamos com efetividade. Temos de ser mais eficazes na aplicação da lei e mostrar resultados para que esses processos não prescrevam."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.