Ministro do Turismo diz que compra do dossiê ´não tem nada a ver com Lula´

O ministro do Turismo, Walfrido dos Mares Guia, disse nesta quinta-feira não acreditar que o escândalo da compra de dossiê contra candidatos tucanos possa afetar o desempenho do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na votação de domingo. "Esse escândalo não tem nada a ver com o presidente. Isso é a mesma coisa que estar num avião e a pessoa da tripulação vai servir café e o derruba no seu terno. Aí a culpa é do piloto ou do presidente da empresa? Em todo lugar tem gente que faz coisas erradas por prazer, e têm os que fazem coisas erradas achando que são certas. Eu não conheço nenhuma dessas pessoas cujos nomes estão aí, mas eu não acredito que elas sejam desonestas no sentido de querer fraudar alguma coisa", disse o ministro, após apresentação de pesquisa com dados sobre o setor de turismo, na Fundação Getúlio Vargas (FGV), no Rio. Quando questionado se permaneceria no ministério num eventual segundo mandato de Lula, ou se poderia ocupar outra pasta, Mares Guia respondeu que nada foi discutido a respeito. "Ele (Lula) não tem nenhum compromisso comigo de me manter, me colocar ou me mudar. Só penso em chegar no dia 30 de dezembro com o meu dever cumprido. Aquilo que ficar faltando vamos deixar muito bem escrito para quem entrar no meu lugar. Deixamos um estudo para perspectiva econômica até 2010. Está tudo arrumadinho para continuar", afirmou. Mares Guia, no entanto, gostaria de continuar no governo, conforme ele próprio revelou. "Meu desejo pessoal é servir ao Brasil através do Presidente Lula sob a liderança dele. Se ele precisar da minha contribuição, eu obviamente estarei não somente pronto mas feliz em poder dá-la. Se por acaso ele tiver outras alternativas saberei compreender com muita tranqüilidade".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.