Ministro Padilha vira 'porta-voz' do Planalto

BRASÍLIA

, O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2010 | 00h00

Ministro mais entusiasmado da campanha de Dilma Rousseff, Alexandre Padilha, das Relações Institucionais, virou o porta-voz do Planalto na reta final do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Com menos de um ano no comando da pasta, Padilha passou a ser o escolhido para enfrentar o sol e os holofotes da imprensa na portaria do Centro Cultural Banco do Brasil, onde a Presidência está instalada provisoriamente.

Ele é conhecido no governo por saber se comunicar e entender de novas mídias. Entre um despacho e outro, ele manda mensagens pelo Twitter - quase todas para defender a candidatura da petista Dilma Rousseff à Presidência ou a figura do presidente. Não cansa de exaltar as ações do governo e defender as polêmicas viagens de Lula para visitar obras inacabadas, consideradas de caráter eleitoreiras. "Ele viaja porque é uma forma de acompanhar as obras", disse o ministro. "Aqui, a gente leva em conta o provérbio: É o olho do dono que engorda o gado".

Nas entrevistas, Padilha nega com veemência qualquer caráter eleitoreiro das ações de Lula olhando com olhar sério o entrevistador.

Com câmeras desligadas, brinca com os jornalistas. Assessores do governo observam que Padilha não estava na tropa de choque do presidente no período da crise política de 2005, quando Lula e sua equipe vivia em embates com a imprensa que deixaram "cicatrizes".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.