Ministro promete punição para assassinos de fiscais

O Ministro do Trabalho, Ricardo Berzoini, firmou hoje um compromisso público de combate à impunidade. Durante a solenidade de descerramento da placa em homenagem aos quatro servidores assassinados em serviço, em Unaí, Berzoini garantiu aos familiares presentes e aos colegas das vítimas que lotavam o saguão de entrada do Ministério do Trabalho, em Brasília, que o governo não descansará enquanto não chegar aos assassinos e seusmandantes."Estamos aqui para prestar solidariedade ampla às famílias e dizer que estamos comprometidos com o combate à impunidade.O Estado brasileiro vai continuar firme no combate à (sic) precarização do trabalho e ao trabalho escravo", assegurou. O ministro chamou os servidores mortos de "os quatro heróis da fiscalização do trabalho" e garantiu que o empenho do governo é total para que esse crime bárbaro seja esclarecido.O delegado regional do Trabalho de Minas Gerais, Carlos Calazans, declarou estar convencido de que os quatro fiscais foram vítimas de pistoleiros a mando de fazendeiros. Ele admitiu que depois do crime, a fiscalização do Ministério do Trabalho na região foi suspensa, mas prometeu para a próxima semana a retomada das ações dos fiscais, desta vez com reforço policial.Calazans também contou que outros dois fiscais do trabalho de Minas Gerais estão recebendo ameaças. Eles trabalham naregião do Vale do Jequitinhonha. Por causa das ameaças, o governo já transferiu os dois e Calazans pensa em reiniciar afiscalização com fiscais de outros Estados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.