Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Ministro quer compra conjunta de tornozeleiras para presos

Em reunião com o presidente do Supremo, Alexandre de Moraes propôs medidas para diminuir a lotação nos presídios

Julia Lindner, O Estado de S. Paulo

19 Julho 2016 | 22h48

BRASÍLIA - Em reunião com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, nesta terça-feira, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, propôs medidas para diminuir a lotação nos presídios. Segundo a assessoria do STF, Moraes disse que pretende reativar o mecanismo de compra conjunta de tornozeleiras. Dessa forma, o Ministério faria uma licitação para todos os Estados, o que reduziria os preços.

Moraes também teria proposto retomar os mutirões carcerários. A ação consiste na revisão das prisões e na inspeção nos estabelecimentos prisionais do Estado. A iniciativa reúne juízes que percorrem os Estados para analisar a situação processual das pessoas que cumprem pena, além de inspecionar unidades carcerárias, com o objetivo de evitar que pessoas sejam mantidas de maneira irregular no cárcere.

A conversa ocorreu alguns dias depois de diversos Estados reclamarem da falta de estrutura. O Rio de Janeiro, por exemplo, deve R$ 2,8 milhões a uma empresa fornecedora de tornozeleiras eletrônicas. 

No início do mês, o empresário Fernando Cavendish e o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, presos na Operação Saqueador, da Polícia Federal, não puderam ir para a prisão domiciliar porque o Rio não tinha as tornozeleiras disponíveis. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.