Ministros comparecem, mas público foi reduzido

Pelo menos 32 titulares da Esplanada foram ao desfile, que contou com esquema de segurança bastante reforçado

Tânia Monteiro e Denise Madueno / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

08 Setembro 2011 | 00h00

Em um desfile rotineiro e de público reduzido, o 7 de Setembro em Brasília chamou a atenção mais pela presença de quase todos os ministros no palanque presidencial, prestigiando a estreia de Dilma Rousseff - primeira mulher presidente da República - no comando da comemoração nacional do Dia da Pátria. Pelo menos 32 ministros foram à festa, que teve um esquema de segurança reforçado por conta das manifestações contra a corrupção.

Os organizadores do desfile esperavam entre 35 mil e 40 mil pessoas, mas estiveram no Eixo Monumental da Esplanada entre 20 mil e 25 mil pessoas.

Dilma foi ao desfile acompanhada da filha Paula e do neto Gabriel, de um ano. Apesar da presença maciça dos ministros, foi notada a ausência do vice-presidente Michel Temer, que viajou para Natal. Também não compareceram à cerimônia os presidentes do Congresso, senador José Sarney, e do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Cezar Peluso, que cobra do Executivo e do Congresso a aprovação de um reajuste salarial de quase 15% para o Judiciário. Ao contrário do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma não prestigiou a tradicional exibição da Esquadrilha da Fumaça. Assim que o último batalhão militar passou à frente do palanque presidencial, Dilma foi embora, sendo seguida pelos demais ministros. O neto Gabriel deixou o palanque às 10h05, depois de brincar muito com a avó e com a faixa presidencial.

Blindada pelo forte esquema de segurança, que incluiu este ano um tapume de mais de dois metros de altura em todo o perímetro do gramado nas proximidades do palanque presidencial, Dilma e os ministros não chegaram a ver a manifestação contra a corrupção, que tomou o outro lado da Esplanada. Celebridade convidada para o evento, o nadador Cesar Cielo carregou durante o desfile o "fogo simbólico" e depois subiu no palanque, onde cumprimentou e tirou fotos com as autoridades. A contenção de verbas nas Forças Armadas reduziu bastante o contingente de militares, carros e blindados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.