EFE
EFE

Miss Brasil se recupera bem e médicos afastam o risco de ela ficar paraplégica

Segundo informação do pai da modelo, ela mexeu os dedos após última cirurgia

Aline Reskalla, Especial para O Estado

28 de dezembro de 2011 | 18h49

A Miss Brasil de 2010 e modelo Débora Lyra, 22 anos,  está consciente e não corre riscos de ficar paraplégica, disse ao Estado o pai dela, Luiz Fernando Lyra. Segundo o empresário, ela já mexe os dedos e os médicos que operaram a modelo nesta quarta-feira estão otimistas com sua recuperação. "Os movimentos estão normais e ela não teve nenhum corte no rosto, continua linda e vai ficar bem", disse Lyra. Débora sofreu um grave acidente de carro em Guarapari (ES) na BR-101, na tarde da última terça-feira, 27.

 

A modelo passou por uma cirurgia na coluna para retirada de uma vértebra e, no início da noite, foi transferida do Hospital Estadual São Lucas, em Vitória (ES), para o hospital particular Centro Integrado de Atenção à Saúde (Cias), também na capital capixaba, onde permanece na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). "Ela só não foi transferida antes porque os médicos acharam mais prudente evitar a movimentação", disse o pai, que agradeceu as manifestações de carinho recebidas no hospital.

 

O boletim médico divulgado por volta das 17h30 informou apenas que "a paciente foi submetida a uma cirurgia bem sucedida de artrodese de coluna cervical (fixação da coluna) e apresenta-se consciente. Na noite de terça, realizou laparotomia, esplenectomia (retirada do baço) e drenagem torácica. Seu estado é estável".

 

O acidente ocorreu às 16h30 de terça-feira, quando o motorista do Gol em que a modelo estava, Hermon Souza Lopes, que é seu namorado, perdeu o controle da direção e invadiu a contramão, batendo de frente com uma Toyota Bandeirante. Ele quebrou o nariz e o fêmur. No início da noite, passou por uma cirurgia na perna no mesmo hospital para onde a namorada foi transferida.

 

A mãe de Hermon, Maria Auxiliadora Miguel de Souza, de 56 anos, morreu na hora. Ela estava no banco de trás e sem cinto de segurança. Débora estava no banco do carona. Maria Auxiliadora foi enterrada por volta das 16h em Vila Velha, na Grande Vitória. De acordo com o pai da modelo, nem Hermon nem a modelo sabem da morte dela. No total, seis pessoas ficaram feridas na batida. Luiz Fernando Lyra disse que a filha acabava de voltar da Coreia do Sul, onde foi eleita Miss Simpatia, e iria passar o Reveillon em Búzios.

 

Também ficaram gravemente feridos os ocupantes da Toyota Bandeirante Roberto Lessa Vasconcellos, Victor Castro Damázio e Júlia Brasil Lessa. Roberto e Victor foram encaminhados para a Maternidade de Vila Velha e Júlia, para a Upa de Guarapari e, em seguida, para o Hospital Antonio Bezerra de Faria, em Vila Velha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.