Missa do peão reúne Alckmin, Mercadante e Skaf

Candidatos prometem baixar impostos, criar universidades e duplicar rodovias durante feira agropecuária em Jacareí

João Carlos de Faria, O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2010 | 00h00

Três candidatos ao governo paulista - Geraldo Alckmin (PSDB), Aloizio Mercadante (PT) e Paulo Skaf (PSB) - fizeram campanha ontem cedo, em Jacareí, e até se deram as mãos durante missa do peão boiadeiro que reuniu 15 mil pessoas, durante a 28.ª Feira Agropecuária da cidade.

Mais tarde, em conversas com eleitores e nas entrevistas, vieram as promessas. Alckmin falou em baixar impostos e apressar o pagamento de precatórios. Mercadante, que nasceu na cidade, prometeu mais universidades para o Vale do Paraíba e anunciou planos de estender a Rodovia Carvalho Pinto até Aparecida. Os temas de Skaf foram a duplicação da Rodovia dos Tamoios e também a do porto de São Sebastião.

Circularam também, pela feira e pela missa, o candidato do PSTU ao governo paulista, Luiz Carlos Prates, e Netinho de Paula (PC do B) , que tenta o Senado na chapa de Mercadante. Os dois se perfilaram também no altar - mas o primeiro foi embora ao fim da missa. Alckmin, Skaf e Mercadante demonstraram familiaridade com os ritos e chegaram a cantar algumas músicas, com letras adaptadas a melodias sertanejas.

Críticas. Ao falar de seus projetos, Mercadante repetiu que São Paulo está perdendo indústrias para outros Estados por causa da guerra fiscal - e sua proposta é criar um conselho estadual de desenvolvimento. "Vamos proteger nossa indústria e trazer uma fonte pública de financiamento. O PSDB privatizou o Banespa e a Nossa Caixa e deixou o Estado sem um instrumento para financiar o desenvolvimento." Falou ainda em "diálogo com o funcionalismo" - que, segundo ele, está insatisfeito e quer mudanças. "Vamos tratar os professores com diálogo e respeito."

Alckmin sentiu-se à vontade na missa - que frequenta há anos - e posou para fotos com eleitores. Depois caminhou pela feira, ao lado do presidente do Sindicato Rural de Jacareí, Paulo Mercadante Turcci, parente de Mercadante. O tucano prometeu que, no dia 2 de janeiro de 2013, sendo eleito, começará a trabalhar para baixar impostos e agilizar o pagamento de precatórios. "Pretendo pagar mais de R$ 2 bilhões por ano, priorizando pessoas de mais idade, valores mais baixos e pessoas doentes", declarou.

Paulo Skaf disse acreditar na viabilidade do trem-bala, que poderá alavancar o progresso no Vale. "Não é a única prioridade, mas é uma delas", garantiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.