Missa na Sé reúne mães de desaparecidos

Uma mistura de alegria, sofrimento e esperança. Este foi o tom das comemorações do Dia das Mães naCatedral da Sé, em São Paulo. Uma celebração ecumênica homenageou principalmente aquelas que lutam para encontrar filhos desaparecidos."O coração fica partido, ainda dói demais. Só quem é mãe pode entender", disse a dona de casa Ivaneide Moreira Dias, que participou da missa na catedral e integra a Associação dasMães da Sé. Moradora de Guaianases, zona leste, todos os domingos ela faz vigília na Sé para conseguir notícias do filho Bruno, de 16 anos.Em 13 de julho de 2000, ele saiu de casa para se encontrar com a namorada e não voltou. "A gente tem de passar alegria para o filho que ficou e para o marido", afirmou, acompanhada docaçula Caio, de 8 anos.A missa foi celebrada pelo padre Bison, que representou o cardeal d. Cláudio Hummes. Com um discurso emocionado, a presidente da Associação das Mães da Sé, Ivanilse Esperidião dosSantos, lembrou os sete anos em que compartilha histórias de dor com outras mulheres. "Ser mãe é viver mil vezes uma só vida", definiu.Transmitindo uma mensagem de esperança, o rabino Henry Sobel também esteve na missa. "Deus não as abandonará", disse o presidente da Congregação Israelita Paulista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.