André Coelho/EFE
André Coelho/EFE

Missa oficial celebra os 90 anos do Cristo: 'Sinal de País que acolhe o povo' 

Por causa do tempo, cerimônia que seria sob os braços da estátua foi realizada na Catedral Metropolitana

Caio Sartori, O Estado de S.Paulo

12 de outubro de 2021 | 13h06

Os 90 anos do Cristo Redentor, uma das sete maravilhas do mundo, foram celebrados em solenidade oficial nesta terça-feira, 12, na Catedral Metropolitana do Rio. A cerimônia seria realizada diante da estátua aniversariante, mas o tempo fechado e chuvoso dos últimos dias fez com que fosse transferida para a Catedral. 

Presidida pelo arcebispo do Rio, cardeal dom Orani Tempesta, a missa neste feriado de Nossa Senhora Aparecida contou com a presença de autoridades cariocas e do ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite. “O Cristo, além de ser um monumento do Brasil, é também um sinal de um país que acolhe o povo. Ele representa tudo aquilo que nos ensinou, de fraternidade e respeito ao próximo, de fazer o bem ao outro”, disse o arcebispo.

 Com obras do artista Oskar Metsavaht, um bloco postal em homenagem ao monumento foi lançado na solenidade; também foi apresentada uma medalha comemorativa para marcar os 90 anos. Assim como dom Orani, o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PSD), destacou o caráter “acolhedor” do Cristo, símbolo da cidade e do País quando são citados mundo afora.  

“O Cristo tem um simbolismo muito forte não só para a cidade do Rio, como também para o Brasil. Ele é uma espécie de bússola, de norte, de ponto de referência para todos os cariocas e para aqueles que adotam e amam essa cidade. Ao mesmo tempo, o Cristo significa cordialidade, a capacidade do nosso povo de receber e acolher a todos os visitantes. E, por fim, o Cristo significa um momento de fé e de esperança no futuro”, disse.  

A “esperança” também foi evocada pelo governador Cláudio Castro (PL), que é cantor católico e tem até um clipe em que ajoelha diante da estátua. “Que os 90 anos do Cristo Redentor sejam lembrados por todos daqui para a frente como o tempo da reconstrução, da esperança e de uma nova vida para a nossa cidade, nosso Estado e nossa Nação”, apontou.  

Antes da pandemia, o Cristo recebia cerca de 2 milhões de visitantes por ano. Com 700 metros de altura e 1100 toneladas, a estátua fica a 709 metros do nível do mar, no morro do Corcovado. A inauguração se deu em 1931. Em 2007, o monumento foi reconhecido como uma das sete maravilhas do mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.