Missa pela morte da jornalista Sandra Gomide reúne parentes e amigos

Uma missa celebrada nesta terça-feira, na Vila Mariana, zona sul de São Paulo, lembrou os dois anos do assassinato da jornalista Sandra Gomide, pelo jornalista, Antônio Pimenta Neves. Aproximadamente 100 pessoas, entre parentes e amigos, compareceram à cerimônia, na Igreja Santo Inácio de Loyola, que fica na mesma rua onde Sandra morava.Além da tristeza pela perda da filha, os pais da jornalista, João Florentino Gomide e Leonilda Pazian Florentino, manifestaram indignação pelo fato de Pimenta Neves, que é réu confesso, estar aguardando o julgamento em liberdade, amparado em habeas-corpus pelo Superior Tribunal de Justiça.Se a decisão da juíza da 1ª Vara Criminal de Ibiúna, Eduarda Romeiro Correa for mantida, Pimenta Neves será levado a júri popular por homicídio duplamente qualificado, podendo pegar de 12 a 30 anos de prisão.Os advogados de Pimenta já encaminharam recurso questionando o pronunciamento da juíza, mas, segundo o advogado Márcio Thomas Bastos, que representa a família de Sandra Gomide, o recurso não deverá alterar a decisão servindo apenas para adiar ainda mais o julgamento.

Agencia Estado,

20 de agosto de 2002 | 20h31

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.