Missa por Tainá se transforma em ato pela paz

Um ato pela paz marcou a missa de sétimo dia da morte da menina Tainá Alves Mendonça, de 5 anos, morta no dia 11, com um tiro na cabeça, após uma briga de trânsito, em São Paulo. O suspeito pelo assassinato é Rodrigo Farrampa Guilherme. Reunidas na Igreja Nossa Senhora de Fátima, na Avenida Doutor Arnaldo, na zona oeste, cerca de 500 pessoas uniram-se aos pais da menina, Ricardo Mendonça e Rosana Alves, para pedir justiça. Participaram da missa, celebrada pelos padres Carlos Batistini e Júlio Lancelotti, da Pastoral do Menor, a apresentadora Ana Maria Braga e o pai do menino Ives Ota, Masataka Ota, seqüestrado e assassinado por PMs em 1997. Rosana criticou a polícia. "Eu esperava que o assassino da Tainá estivesse preso hoje", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.