Míssil que Beira-Mar quer comprar custa US$ 40 mil

O míssil que interessa ao traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, é o pequeno e letal Stinger, de fabricação norte-americana, que pode ser lançado por um só homem contra aviões ou helicópteros voando a baixa altura e grande velocidade. No mercado negro de equipamentos de uso militar circula há pelo menos duas semanas a oferta de seis unidades da série 92-A a US$ 40 mil a peça. O preço é superior ao valor regular.Os mísseis estariam sendo comercializados pela organização NKD, estabelecida no Paraguai e controlada por chineses. A versão disponível no pequeno lote da NKD é de 1981. O sistema de busca do alvo emprega um sensor infravermelho que guia o Stinger até o ponto de detonação pelas ondas de calor do motor. Modelos mais avançados são dotados de sistemas a laser.O míssil é preciso na faixa de alcance de 3 quilômetros e tem eficiência superior a 90% contra alvos a 1.500 metros. O Stinger mede 1,5 metro e pesa 15,7 quilos quando pronto para disparo no ombro dos artilheiros.De acordo com relatórios do Departamento de Defesa dos Estados Unidos para o Congresso norte-americano, mais de 100 mil dessas armas saíram das linhas de montagem da extinta General Dynamics, na Califórnia. Um dos maiores lotes foi entregue em 1986 às milícias que, na época, resistiam à invasão soviética do Afeganistão. Vitoriosos, mais tarde esses grupos viriam a apoiar o regime taleban e a abrigar a organização terrorista Al-Qaeda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.