Mitra atrasa plano de restauro

Reforma de seminário será analisada pelo Conpresp

Vitor Sorano, O Estadao de S.Paulo

16 de junho de 2009 | 00h00

A Mitra Arquidiocesana de São Paulo descumpriu ontem o prazo para a apresentação de um projeto de restauração do prédio tombado do antigo Seminário Episcopal de São Paulo, na Luz. Agora, o caso será encaminhado ao Conpresp - órgão municipal que cobrou a proposta de reforma - para definir quais medidas serão tomadas. À tarde, a Mitra havia informado que preparava uma documentação para solicitar mais prazo para a apresentação do projeto. Às 19 horas, após tomar conhecimento do descumprimento do prazo, a reportagem tentou ouvir novamente a Mitra, mas não conseguiu.Segundo a Secretaria Municipal de Cultura, a Mitra ainda poderá apresentar novo pedido de prorrogação, que será avaliado. São possíveis duas prorrogações de 30 dias cada uma. A cobrança por uma proposta de restauração começou em março. O antigo prédio do Seminário, inaugurado em 1856, foi desfigurado após décadas de atuação como comércio. A Mitra aluga o prédio desde 1920. Hoje, lojas de vestidos de noiva e de festa ocupam o imóvel, tombado em 1992. O Condephaat, órgão estadual, diz que ele é protegido desde 1982.FINANCIAMENTOA Mitra vem pedindo prorrogações à Prefeitura por causa do Programa Monumenta. Na capital, ele é mantido pelo governo federal em parceria com a Prefeitura. Oferece empréstimo a juro zero para a restauração de imóveis de interesse histórico. A seleção, aberta em maio, vai até o dia 16 do mês que vem. O Seminário é um dos 27 imóveis da capital inicialmente cotados para receber apoio do programa.Segundo a Empresa Municipal de Urbanização (Emurb), entre os já beneficiados estão o Edifício Ramos de Azevedo e o do Ponto Chic, ambos na Luz. No princípio do programa, o Seminário não precisaria concorrer com os outros pretendentes ao financiamento, segundo o Instituto Nacional do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), mas, por desistência dos proprietários, agora deverá concorrer na atual seleção.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.