Moça, 19 anos, planeja seqüestro de namorado, 64

O romance de mais de dois anos entre um empresário de origem japonesa, de 64 anos, e Viviane Paula Fecundo, de 19, sempre foi condenado pela família dele. Os fatos terminaram dando razão aos familiares do empresário.Viviane planejou o seqüestro do próprio namorado e acabou presa juntamente com outros seis comparsas.Policiais da Delegacia Seccional de Taboão da Serra,responsáveis pela prisão, acreditam que o bando seja responsável por pelo menos mais 15 seqüestros nasregiões de Taboão, Embu e Cotia, na Grande São Paulo.O drama do empresário, dono de uma imobiliária e de um supermercado, em Embu, começou na últimasegunda-feira. Estava em casa com a namorada e aguardava a chegada de um casal para o jantar.Mas quem chegou foram os seqüestradores. Para não levantar suspeitas, eles também renderam Viviane,que chegou a ser levada para o cativeiro, uma chácara em Cotia.As negociações para o pagamento do resgate começaram no dia seguinte. Avisada pela família, a polícia acompanhou tudo. Inicialmente os bandidos pediam R$ 100 mil, que acabaram reduzidos para R$ 15 mil.Para completar a quantia exigida inicialmente e livrar-se das ameaças de morte e mutilação, o empresário alegou que precisaria cobrar uma dívida de outra imobiliária.Surpreendentemente, os seqüestradores concordaram com sua ida até o endereço, na região central de Embu, juntamente com a namorada. A vítima acreditava que os bandidos o vigiavam de longe, mas, na verdade, essa tarefa cabia apenas a Viviane.A polícia obteve informação sobre o encontro, marcado para a tarde desta quinta-feira, e montou umacampana próxima ao local. Certos da participação de Viviane, deram voz de prisão à moça, queconfirmou a farsa, para desespero do namorado.?Ele ainda não acredita que tenha sido vítima da pessoade que tanto gostava?, diz o Delegado Seccional de Taboão, Romeu Tuma Junior. Viviane disse que o resgate seria entregue numa praça, no centro de Embu, onde a polícia prendeu Marcelo Monteiro da Silva, de 18 anos.A dupla também revelou o local do cativeiro. Mas ao chegar à chácara, na Rua da Constelação, em Cotia, na madrugada desta quinta-feira, a polícia não encontrou ninguém.O esconderijo do bando era outro, uma casa, também na zona rural de Cotia, onde foram presos os irmãosMoisés e Rogério Cordeiro da Cruz, de 18 e 19 anos; Ana Paula de Araújo, de 23; e as menores F.A.S., de16, e D.C.C., de 17.Com eles foram apreendidos 3 revólveres de calibre 38.Tuma acredita que Ana Paula seja a líder e também a mais perigosa do bando. ?Ela é suspeita de participar de um duplo homicídio. Suas características físicas já foram descritas por outras vítimas?, justifica.Os sete acusados foram indiciados por extorsão mediante seqüestro, cárcere privado, tortura, formação dequadrilha e corrupção de menores, crimes que podem render até 20 anos de prisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.