Reprodução
Reprodução

Mochila ajuda a identificar suspeitos de furtar Medalha Fields

Imagens do local mostram a bolsa no ombro de um dos suspeitos

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

02 Agosto 2018 | 12h22
Atualizado 10 Agosto 2018 | 22h37

RIO - Uma mochila azul achada perto da pasta do iraniano Caucher Birkar, furtada meia hora antes, foi a pista que ajudou a Polícia a identificar os dois suspeitos do furto da Medalha Fields, ocorrido na quarta-feira, 1, no Congresso Mundial de Matemática, no Riocentro. Imagens do local mostram a bolsa no ombro de um dos suspeitos e também quando um dos homens a colocou sobre os pertences da vítima, em uma cadeira. Depois, o ladrão ao sair levou tudo - assim os suspeitos agiram sem que ninguém percebesse.

Antes do crime, os dois suspeitos foram filmados cochichando. Depois, se separaram. A mochila azul foi achada com alguns dos pertences do iraniano. A polícia também investiga o furto de uma mochila pertencente a um profissional de televisão. Nela, estava uma pequena câmera. Todos os participantes do Congresso precisavam de crachá de identificação para ter acesso ao pavilhão do Riocentro onde ocorria a solenidade de abertura do Congresso, durante a qual ocorreu o furto.

De ouro, a Medalha Fields, que estava na pasta furtada, é o maior prêmio da Matemática. Vale US$ 4 mil, perto de R$ 16 mil. Foi concedida ao iraniano e outros três matemáticos. Cada ganhador também receberá também 15 mil dólares canadenses (cerca de R$ 43 mil).

A Polícia Civil  informou por nota que até o momento não sabe os nomes dos dois suspeitos. A corporação afirmou também que diligências "estão em andamento" para prender os ladrões.

Mais conteúdo sobre:
Caucher Birkar Riocentro matemática furto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.