Mocidade Alegre entra forte para defender o título de campeã

Depois de pegar o público empolgado, Mocidade também engata na animação e faz uma boa apresentação

Gustavo Miranda, estadao.com.br

03 de fevereiro de 2008 | 05h25

Com a responsabilidade de ser a atual campeã do carnaval que a Mocidade Alegre entrou no Anhembi, na madrugada deste domingo, 3. O enredo? Cheio de amor pela 'Terra da Garoa': cantar e celebrar a cidade de São Paulo. O tema deste ano, 'Bem-vindo a São Paulo, sabe por quê? Porque São Paulo é tudo de bom!', destacou a cidade por suas principais qualidades - a gastronomia, a vida cultural agitada, o futurismo, a terra das oportunidades e a 'multiculturalidade' paulistana. Depois de pegar o público empolgado, com a apresentação da Vai-Vai, a Mocidade também engatou na animação e fez uma boa apresentação.  Veja as fotos do desfile  'Carnavais de SP e Rio são complentares', diz Serra   Veja as melhores imagens de todos os desfiles em SP   Qual escola de samba será campeã em São Paulo?   Representando a São Paulo futurista, o primeiro carro tinha uma aparência do que seria algo moderno na década de 20, com muito cobre e uma cara de máquina. Tomando como base a Semana de Arte Moderna, o carro trouxe o ator Pascoal de Conceição, que interpretou um dos criadores da Semana, o escritor Mário de Andrade, na minissérie "Um só coração", da TV Globo. O segundo setor do desfile celebrou a cidade como terra das oportunidades e dos grandes eventos. Houve modelos representando a São Paulo Fashion Week, além de alegorias da Bolsa de Valores e da Fórmula 1. A segunda alegoria da escola trouxe referência aos motoboys, mas com um aviso: nada de pressa para os motociclistas.  O terceiro carro celebrou a "multiculturalidade" de São Paulo, com a presença da atriz Rosi Campos e do ator Cássio Scapin, ambos famosos pela participação no programa infantil Castelo Rá-Tim-Bum e em outras novelas globais. Os dois vão representar as peças teatrais Praça Roosevelt. Lilian Gonçalves, "rainha da noite paulistana", também estava no carro, que ainda tinha um espaço com 36 pessoas e o DJ Hum, simulando uma típica balada paulistana. O quarto carro fez referência à gastronomia. E o último lembrou a Parada GLBT e a diversidade das tribos de São Paulo. Cada ala veio vestida de forma diferente: roqueiros, rappers e sambistas. Nani Moreira, rainha da bateria da escola, executou sua marca registrada, tocando tamborim ao lado dos ritmistas da Mocidade Alegre, que deram um verdadeiro show sob o comando Mestre Sombra. Dos seis títulos conquistados pela Mocidade Alegre no Grupo Especial, quatro homenagearam a cidade de São Paulo. A escola passou pela avenida com 25 alas, cinco carros alegóricos e 3.400 componentes. Poucos pingos d'água não chegaram a atrapalhar o desfile da Mocidade.

Tudo o que sabemos sobre:
Carnaval 2008Mocidade Alegre

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.