Modelo mineira morreu asfixiada, diz laudo

O Ministério Público de Minas informou hoje que a modelo Cristiana Ferreira, encontrada morta em um flat na capital mineira, em 2000, morreu asfixiada, segundo laudo do legista Roberto Campos. O primeiro resultado do inquérito da Polícia Civil indicava que a ela havia se suicidado, ingerindo veneno para ratos. Segundo o promotor de Francisco de Assis Santiago, a quem o laudo foi entregue, Cristiana foi asfixiada com um travesseiro ou uma toalha. Ela sofreu fraturas no nariz, numa vértebra e num dedo. Para Santiago, que chefiou a reabertura das investigações, o detetive particular Reinaldo Pacífico será denunciado como principal suspeito. Ele seria namorado da modelo e está foragido. O ex-governador de Minas, Itamar Franco (sem partido), seria convocado para depor, mas a solicitação foi descartada. O depoimento foi sugerido pelo ex-vice-governador, Newton Cardoso (PMDB).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.