Monomotor desapareceu no Oiapoque

O avião monomotor prefixo PT EPH, da empresa Marco Zero Táxi Aéreo, está desaparecido. Ele decolou de Oiapoque às 12h03 desta terça-feira e deveria pousar em Macapá às 13h40.Única pessoa credenciada a falar pela empresa, o diretor Vagner Pantoja disse que é praticamente improvável que o avião tenha caído, uma vez que possui um dispositivo - chamado helte - que em caso de quedas é acionado automaticamente, emitindo sinais via satélite para o Salva-Aéreo (em Belém).Informações do Salva-Aéreo dão conta de que nenhum sinal foi recebido. Vagner trabalha com a hipótese de que, talvez em função de mau tempo, a aeronave tenha pousado em alguma das inúmeras pistas, ou campos, que existem entre Oiapoque e Macapá."Pode ter pousado em algum lugar onde a comunicação seja impossível, quer por telefone ou por outros meios", diz o diretor da empresa. Mas ele não descarta a possibilidade de o avião ter sido sequestrado. "É provável que alguém tenha rendido o piloto para fugir do Oiapoque para qualquer outro lugar, quem sabe até pra Guiana Francesa", diz.O avião tem autonomia de vôo de seis horas. Quando decolou de Oiapoque tinha autonomia para 4h30. Vagner Pantoja descarta falha humana. "O comandante Pedro Pinheiro é um profissional muito experiente, tem mais de 20 anos de aviação", ressalta.Todas as providências estão sendo tomadas para que a aeronave seja localizada. Ainda esta madrugada, uma equipe do Salva-Aéreo estará chegando a Macapá para começar a vasculhar toda a área em busca da aeronave. Além do comandante, estavam na aeronave quatro passageiros. O avião tem capacidade para cinco passageiros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.