Morador de rua é morto por causa de dívida de 15 reais

Por causa de uma dívida de R$ 15, o morador de rua Fernando Henrique de Oliveira, de 29 anos, foi agredido e morto por um estudante de 17 anos, em Planaltina, cidade-satélite de Brasília, na madrugada desta terça-feira. Oliveira conversava com três amigos na rua, quando o menor chegou no local, acompanhado por um homem, ainda não identificado. Diante do não-pagamento da dívida, o menor passou a agredir Oliveira a socos e ponta-pés. Quando a Polícia Militar chegou, o menor batia em Oliveira com um chinelo.O morador de rua, muito ferido na região da cabeça, foi levado para o Hospital Regional de Planaltina, mas morreu logo depois. O menor foi preso e encaminhado para um centro de internação provisória. O delegado de plantão da Delegacia da Criança e Adolescente de Brasília, Ricardo Pedroza Martirena, afirmou que o menor negou a agressão. Os amigos de Oliveira, que também prestaram depoimento, disseram que foram impedidos de proteger o amigo pelo companheiro do menor, que dizia estar armado.O menor poderá ser condenado por homicídio qualificado e deve receber uma pena de até três anos de internação no Centro de Atendimento de Infância e Juventude. De acordo com o Martirena, este foi o primeiro registro de infração cometido pelo menor. "Estão todos muito chocados. Tanto a família da vítima, quanto a do agressor", comentou o delegado. A família de Oliveira o visitava regularmente nas ruas em que vivia. "Ele era dependente de álcool e no momento da agressão, praticamente não conseguiu se defender", completou.Este é o segundo crime deste ano envolvendo menores que choca moradores de Planaltina. Em maio, uma garota de 16 anos matou uma colega a facadas, na escola pública Stella dos Cherubins Guimarães. O crime, premeditado, foi cometido um dia depois que a vítima, Cácia de Fátima Souza, de 17 anos, tentou barrar a entrada da colega na festa de aniversário de uma amiga comum. Ela estava acompanhada de um ex-namorado de Cácia. O assassinato foi cometido no pátio do colégio, com uma faca de açougue. A menina que esfaqueou a colega foi levada para o Centro de Assistência Juvenil Especializada (Caje).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.