Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
GABRIELA BILO / ESTADAO
GABRIELA BILO / ESTADAO

Morador diz que 'serial killer' do DF invadiu chácara para pegar queijo e polícia tenta achar rastro

Polícia tenta achar Lázaro Barbosa há dez dias; operação movimenta mais de 200 policiais

Lauriberto Pompeu, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2021 | 20h01

O aparato montado pela Polícia Civil de Goiás e do Distrito Federal tenta achar rastros deixados por Lázaro Barbosa, 32 anos, conhecido como "serial killer do DF". As buscas se concentram em uma área de matagal no distrito de Girassol, localizado na cidade de Cocalzinho do Goiás (GO), região onde o foragido foi visto pela última vez.

Um morador do local afirmou nesta sexta-feira, 18, ter visto Lázaro invadir uma chácara no distrito. "O vizinho viu ele entrando no bananal. Na mesma hora, coisa de segundos, a polícia chegou. (Lázaro) Entrou no mato. Rapidinho os helicópteros chegaram e, pelo jeito, ele invadiu nossa casa", relatou Alan Reis, chacareiro e produtor rural. "Quebrou a porta, revirou as roupas da minha esposa, revirou o guarda roupa e levou o queijo."

Em nota divulgada nesta sexta, a Secretaria de Segurança Pública de Goiás afirmou que o cerco ao foragido está avançando. "O cerco está sendo fechado e as informações apontam que Lázaro Barbosa está cada vez mais cansado e possivelmente ferido."

Na terça-feira, 15, Lázaro fez uma pessoa refém em Edilândia (GO), na mesma região de Cocalzinho, e trocou tiros com policiais. Um agente foi atingido, mas ficou bem após socorro médico. "Foram tiros de raspão, dois tiros, os dois passaram de raspão no rosto. Já foi socorrido e está tranquilo", disse o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda. Lázaro havia sido visto em propriedades rurais na região do entorno do DF e de Goiás.

Uma força-tarefa com cerca de 200 policiais foi montada e tem usado o distrito de Girassol, área rural de Cocalzinho, como base. Rodney Miranda avalia que Lázaro pode ter ficado ferido após o confronto com os policiais na terça-feira. O secretário disse que Lázaro "está mais descuidado". "Está cometendo mais erros. Por isso tivemos duas aparições e um confronto. Nenhum policial foi ferido", afirmou.

Miranda evitou, porém, dar uma perspectiva de quando o homem deve ser capturado. "Podemos afirmar quando ele vai ser preso? Não. Na última situação, ele ficou 15 dias na Bahia e só foi capturado porque estava baleado."

Lázaro é acusado de matar, a tiros e facadas, três pessoas na zona rural de Ceilândia, cidade satélite de Brasília, no último dia 9. Foram mortos Cláudio Vidal de Oliveira, de 48 anos, e os filhos Gustavo Marques Vidal, de 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, de 15. O foragido também é apontado como responsável pelo sequestro da mulher de Cláudio, Cleonice Marques de Andrade. O corpo dela foi encontrado no dia 12 à beira de um córrego, próximo da casa onde a família morava. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.