Moradores agridem e tentam tomar fuzis de soldados no Rio

O coronel Pedro Conrado, comandante do 2º BPM de Infantaria Motorizada e responsável pela ocupação no Morro da Providência, disse que moradores, incitados por traficantes, agrediram, xingaram e tentaram tomar os fuzis dos soldados, nesta manhã. Segundo ele, o tumulto aconteceu depois que os militares apreenderam 10 quilos de cocaína, munição, um rádio transmissor e material usado na embalagem de drogas, numa casa no morro. Quatro pessoas foram presas, entre elas um menor.TiroteioOs moradores do Morro da Providência foram acordados, nesta manhã, por mais um tiroteio entre traficantes e militares. Os tiros começaram a ser disparados da parte baixa em direção ao topo do morro, onde soldados do Exército estavam abrigados. Os militares revidaram com tiros de metralhadora e pistola. Alguns moradores saíram de casa durante o tiroteio e foram repreendidos pelos soldados. Não há informações sobre mortos ou feridos. No Morro do Pinto, vizinho da Providência, moradores afirmam que soldados invadiram casas, por volta de 6h30 da manhã desta sexta-feira, para subir nas lajes e se posicionar para confrontar os bandidos. Os tiroteios começaram na noite desta quinta-feira, 9. Foi o pior embate desde o início da ocupação, que tem como objetivo recuperar armas roubadas de um quartel do Exército. Seis favelas continuam ocupadas pelos militares. Na Mangueira, também houve tiroteio de madrugada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.