Moradores contestam desconto em pedágio da Castelo

Integrantes do Movimento Acesso Livre Já, que reivindica redução no valor do pedágio das Marginais da Rodovia Castelo Branco e a abertura de acessos aos municípios de Osasco, Carapicuíba e Barueri, na Grande São Paulo, iniciou uma campanha distribuindo milhares de folhetos aos motoristas para contestar a forma como o governo do Estado vai reduzir o valor do pedágio."Estamos esclarecendo à população que, em vez de solucionar o nosso problema, o governo resolveu o da Viaoeste, perdoando as multas no valor de R$ 23 milhões que a concessionária havia tomado por atrasar a duplicação da Rodovia Raposo Tavares e por não ter instalado até agora os telefones de emergência na Castelo Branco", disse Luis Otávio Rosas, que integra o grupo.O motorista que passar pelo pedágio das Marginais da Castelo 40 vezes no mês terá um desconto de 50%; 20 vezes, 22%, e nenhum desconto para menos de 10 vezes. "Essa meta de 40 vezes é muito difícil de atingir", reclamou Rosas. "Apenas uma pequena parcela da população será beneficiada, pois, devido ao rodízio de veículos em São Paulo, é impossível você utilizar a rodovia 40 vezes por mês. Além disso, temos os feriados e os fins de semana prolongados, que impedem que o motorista atinja essa marca."Rosas vê outra dificuldade. A cobrança será feita pelos guichês eletrônicos das praças de pedágio, o que vai obrigar os motoristas a instalarem o Sem Parar no automóvel. "Para isso, o proprietário terá de pagar R$ 5,00 por mês. E terá de ser sempre o mesmo veículo", reclamou. "O governo do Estado, na verdade, lançou mais um programa ´engana que eu gosto´, principalmente neste período de eleições."SuspensãoA Assessoria de Imprensa da Agência Reguladora do Transporte no Estado de São Paulo (Artesp) negou que o governo tenha perdoado a multa de R$ 23 milhões. "A multa está suspensa, pois a Viaoeste se comprometeu a reiniciar a duplicação da Raposo no trecho entre Cotia e Sorocaba", informou.A Artesp negou também que a decisão do governo do Estado tenha sido uma medida eleitoreira. "Foi uma solução que a agência e Viaoeste encontraram, após ouvir as reivindicações dos moradores", destacou a assessoria. Segundo a agência, o desconto de 50% será feito durante 18 meses, quando haverá uma nova avaliação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.