Moradores da Rocinha esperam que a coisas melhorem

A notícia da atuação conjunta das Forças Armadas com a polícia do Rio no combate ao crime organizado e ao narcotráfico deixa os mais de 150 mil moradores da Favela da Rocinha na expectativa de que as coisas possam vir a melhorar. A afirmação foi feita pelo presidente da União Pró-Melhoramento dos Moradores da Rocinha, Willian de Oliveira."Embora nós moradores da Rocinha entendamos não haver tanto assim a necessidade da presença das Forças Armadas naação direta de combate ao crime no Rio, a gente fica na expectativa de que as coisas possam melhorar. Se as Forças Armadas estão sendo envia das pelo governo federal, é por um descuido do governo do estado. Se o Exército está vindo para realmente nos dar segurança, nós ficamos felizes. Esperamos que as mortes parem e que o Rio realmente possa ficar em paz", ele disse à Agência Brasil.Ele defende que é preciso juntamente com a repressão as ações sociais voltadas para a melhoria das condições de vida dosmoradores. "Eu acho que este trabalho das Forças Armadas é muito importante aqui no Rio, mas a gente precisa também deações voltadas para o bem estar da população", afirmou.

Agencia Estado,

10 de maio de 2004 | 18h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.