Moradores de favela interditam rua da Tijuca, no Rio

Moradores do Morro do Borel e da Favela Indiana, na Tijuca, zona norte do Rio, interditaram por mais de três horas, na noite de sábado, a Rua Conde de Bonfim, uma das principais do bairro. Dois carros - um Opala e um Fiat Brava - foram incendiados e cerca de 50 pessoas acabaram detidas por policiais militares. Durante a confusão, abrigos de ônibus e um Chevette tiveram vidros quebrados, supostamente por tiros.De acordo com moradores, a manifestação ocorreu em protesto contra operação realizada pela PM em que três pessoas - dois homens e uma mulher - foram baleadas. "Eles (os policiais) chegaram atirando e balearam três inocentes. Fizemos um protesto digno, para mostrar que a comunidade tem força", disse o morador Cristiano de Araújo, de 29 anos. Ele afirmou ainda que a polícia teria usado bombas de efeito moral e agredido moradores.Segundo a versão da PM, o confronto começou quando um grupo de traficantes cercou uma patrulha policial. De acordo com o coronel Francisco Murilo Leite Lira, comandante do 6º Batalhão da PM, houve troca de tiros e duas pessoas ficaram feridas. Segundo ele, o motivo do protesto seria a ocupação de favelas pela PM e a proibição de bailes funk na região.A polícia afirma que os moradores foram incitados por traficantes de drogas. Além da Conde de Bonfim, a Rua São Miguel, que dá aceso ao Borel, também foi interditada com pedras, paus e pneus queimados. Bares e restaurantes que funcionam à noite no local fecharam. Moradores teriam sido impedidos de voltar para casa.OcorrênciasNo bairro das Laranjeiras, na zona sul do Rio, uma pessoa morreu durante troca de tiros entre policiais e traficantes da favela Pereira da Silva. Em Vila Isabel, na zona norte, duas pessoas foram baleadas por criminosos supostamente do Morro do Borel na madrugada de hoje. Mesmo feridos, eles tentaram fugir, mas foram perseguidos. Os criminosos teriam atirado contra policiais que tentavam socorrer as vítimas. Houve confronto e os bandidos fugiram. Tiago Aurélio da Silva, de 21 anos, e sua acompanhante, uma menor de 16 anos, foram levados para o Hospital do Andaraí.No morro do Chaves, em Costa Barros, uma pessoa não identificada, que seria traficante de drogas, foi morta durante a madrugada em troca de tiros com policiais militares do 9.º Batalhão. Foram apreendidos um revólver calibre 38, uma granada e 279 sacolés de cocaína.Na favela Pára-Pedro, em Irajá, o policial Jonvane Reis foi ferido no braço com um tiro de fuzil em troca de tiros contra traficantes durante a madrugada. Segundo a polícia, oito viaturas faziam uma operação de rotina na área. Na Favela da Coréia, em Senador Camará, também houve tiroteio. A PM apreendeu 10.187 sacolés de cocaína, 7 quilos de maconha, 1 revólver calibre 32, uma pistola 9 mm, munição e duas fardas camufladas do Exército. A PM não confirmou se as fardas pertenciam à Brigada de Pára-Quedistas.Pela manhã, depois de uma troca de tiros com traficantes no Morro da Providência, a PM encontrou um revólver calibre 38, 117 sacolés de cocaína e 61 troxinhas de maconha. Ninguém foi preso. Na Estrada da Gávea, zona sul, policiais perseguiram criminosos que estavam em um Gol que seria roubado. Eles conseguiram fugir a pé, mas deixaram dentro do carro uma sub-metralhadora, um revólver calibre 32 e 99 sacolés de cocaína.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.