Moradores do Adeus abandonam favela com medo da guerra

Enquanto a Polícia Militar fazia operações hoje no Morro do Adeus, na zona norte do Rio, moradores continuaram a deixar a favela com medo da guerra entre facções criminosas. Na madrugada de domingo, bandidos do vizinho complexo do Alemão, ligados ao Comando Vermelho (CV), invadiram o Adeus, dominado pela facção Amigos dos Amigos (ADA). Pelo menos sete pessoas foram mortas. Policiais do Batalhão da Maré ocupam o morro, mas a população não se sente segura e muitas preparavam mudanças.O comandante do Batalhão de Polícia Militar da Maré, tenente-coronel Álvaro Garcia, insistiu que houve apenas umatentativa de invasão. Ele disse ainda que somente a morte de uma mulher foi confirmada como conseqüência do conflito. ?Ainvasão não aconteceu. Caso contrário, não estaria a paz que está lá. Não há garantias de que os outros mortos têm relação com isso?, disse.Cobiçado pelo Comando Vermelho, o Morro do Adeus foi atacado um dia depois da morte do traficante Leandro Sabino, o DJ,numa troca de tiros com a polícia. Ligado ao ADA, DJ chefiava o tráfico de drogas na favela, cuja geografia privilegiada ampliaria o domínio da facção rival na região do Complexo do Alemão. As duas favelas são inimigas há décadas.Na madrugada, policiais militares chegaram a trocar tiros com traficantes nas imediações do morro. Um carro da PM foi alvejado na Rua Itararé. No início da manhã, eles vistoriaram um prédio de dois andares na Rua Aquiri, um das vias principais, cujos apartamentos foram utilizados como refúgio por bandidos do ADA antes da invasão. Eles expulsaram os moradores porque suspeitaram que eles deram informações à polícia sobre DJ. Nos apartamentos, completamente destruídos, havia colchonetes e pichações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.