Moradores do Alemão posam armados em perfis do Orkut

Jovens que se identificam como moradores do Complexo do Alemão, na zona norte do Rio, prestam homenagens no site de relacionamentos Orkut e em álbuns de fotos na internet aos 19 supostos traficantes mortos no confronto com a polícia no dia 27, no conjunto de favelas. Com fotos em que empunha uma pistola, um usuário do site, que se identifica como Rafael, homenageia os criminosos e jura vingança contra a Polícia. Uma comunidade em sua homenagem é ilustrada com uma foto em que aparece também com uma pistola. O Estado entrou em contato com um celular escrito na página de recados do usuário Rafael. Um homem que se identificou como Victor Costa, de 19 anos, atendeu e negou qualquer ligação com o tráfico, mas disse conhecer Rafael e admitiu que faz parte da comunidade "O Fael da Grota é nós a vera" (sic). "Faço parte da comunidade porque gosto da pessoa dele. Acho que isso não é crime. Até onde sei a arma é de verdade, mas seria de um primo dele ligado ao tráfico. Ele fez o Segundo Grau comigo e trabalha em uma loja de informática", afirmou Costa. De acordo com o Código Penal, a pena para a apologia ao crime ou ao criminoso é de três a seis meses de detenção ou multa. No Orkut, uma outra usuária identificada como Silvana, aparentemente menor, colocou uma foto onde segura um fuzil calibre 7.62 enquanto uma amiga aponta uma pistola contra ela. Diante da reação dos outros usuários, retirou a foto. O secretário de Segurança Pública do Rio, José Mariano Beltrame, disse que as fotos de menores armados prova que na operação não houve mortes de inocentes e mostra o poderio bélico enfrentado pela Polícia na região. "Posso adiantar que não houve inocentes mortos naquela operação. Vi (na internet) moças , provavelmente adolescentes, com armas na mão, apontando uma contra a outra. Temos que desarmar estas pessoas, que mostram a cada dia a sua irresponsabilidade, o seu descompromisso com a própria vida e o que dirá com a vida do cidadão", disse Beltrame. A Delegacia de Repressão a Armas e Explosivos (Drae) informou que está monitorando o site de relacionamentos e faz o cruzamento com CDs e fotos de homens armados apreendidas no dia 27 para identificar todos os traficantes do Complexo do Alemão. De acordo com o comandante do 16º Batalhão de Polícia Militar (Olaria), Marcus Jardim, há três dias não são registrados confrontos entre policiais e traficantes no Complexo do Alemão. Policiais da Força Nacional de Segurança continuam patrulhando os acessos, e a Polícia Militar faz rondas na região.

Pedro Dantas, do Estadão

09 Julho 2007 | 20h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.