Moradores do Palace 2 comemoram 4 anos de união

Um bolo de quatro metros de comprimento marcou nesta sexta-feira o quarto aniversário do desmoronamento parcial do edifício Palace 2, em que oito pessoas morreram e centenas ficaram desabrigadas. Os ex-moradores decidiram partir um bolo para lembrar que o episódio não ?terminou em pizza?.?Sempre disseram que tudo acabaria em pizza, como ocorreu com as vítimas do Bateau Mouche e da queda do Viaduto Paulo de Frontin. Mas isso não ocorreu conosco, porque lutamos muito e ficamos unidos?, afirmou a presidente das associação das vítimas do Palace 2, Rauliete Barbosa Guedes, referindo-se ao acordo de R$ 30 milhões firmado entre os ex-moradores e o deputado cassado Sérgio Naya, construtor do prédio.O bolo também serviu para homenagear o menino Flávio Matheus Borges Moura Santos, de quatro anos, que tinha apenas um mês quando parte do Palace desmoronou. A mãe dele, Jussara Borges Santos, de 44 anos, levava o menino no colo quando o edifício começou a ruir. Ela correu para escapar dos pedaços de concreto que se soltavam, tropeçou e deixou o bebê cair no chão. A poeira sufocou Matheus, que foi socorrido num hospital da Barra da Tijuca.?Meu filho nasceu de novo. Ele tem duas datas de aniversário?, diz Jussara, que vive com o marido, a filha de 15 anos e Matheus num dos quartos do hotel Atlântico Sul pagos por Naya desde o desabamento. Confeccionado com 50 quilos de farinha, 150 dúzias de ovos, 30 quilos de açúcar e 100 quilos de baba-de-moça e doce de leite, o bolo provocou brincadeiras. ?A massa é mais firme do que o prédio que o Naya construiu?, ironizou o gerente da lanchonete que preparou o doce, Severino Ramos.Houve quem dissesse que era uma alusão ao ?bolo? de dinheiro que o deputado cassado terá de desembolsar. Mas a manifestação ganhou tom dramático quando Rauliete Barbosa e ex-moradores discursaram. Eles narraram o momento do desabamento e lembraram os oito mortos. ?Aqui não é festa, não é alegria. É soma de sofrimento?, disse Rauliete. Naya tem até 25 de abril para pagar as indenizações a 120 famílias

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.