Moradores organizam protesto

Depois de atitudes isoladas, como jogar água nos drogados, comerciantes e moradores da cracolândia agora estão se articulando para pressionar as autoridades. O clima é bastante tenso e todos argumentam que a paciência acabou e a situação chegou ao limite: não é mais possível a convivência pacífica entre usuários e a comunidade. Nos próximos dias, a vizinhança pretende organizar novo protesto - desta vez maior do que o realizado na noite de sexta-feira. Pneus estão sendo estocados para ser queimados durante o protesto. "Pretendemos parar uma das avenidas do centro, porque alguém tem de nos ouvir. Nós só queremos trabalhar e viver normalmente", ressalta um dos organizadores da manifestação. "Se as autoridades não assumirem o controle, vai acontecer uma tragédia. Todo mundo está disposto a qualquer coisa", afirma um comerciante que já brigou com um drogado que tentava entrar em sua loja. Os organizadores dessa nova manifestação só estão esperando que a Polícia Militar os receba durante a semana e se comprometa a retirar os viciados. Os moradores também prometem aderir ao protesto. "A cidade precisa saber que a nossa vida está interrompida", diz a síndica de um edifício. Revoltados, alguns moradores pensam em protestar jogando lixo pelas janelas. "Isso daqui já é o próprio lixo, só vamos mostrar", afirma um condômino.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.