Moradores tentam linchar suspeito de incendiar casal

Um grupo de moradores de Bragança Paulista realizou na tarde desta terça-feira uma manifestação em frente à delegacia da cidade, ameaçando arrancar a grade que cerca o prédio para invadir e linchar o serralheiro Joabe Severino Ribeiro, 36 anos. Segundo a polícia, ele admitiu ter incendiado, no domingo à noite, o veículo em que se encontrava um casal, uma criança e uma funcionária da família. O casal morreu no momento do incidente, enquanto o garoto, de apenas 5 anos, foi internado com 90% do corpo queimado e morreu nesta terça-feira. A notícia da morte do menino Vinícius Faria de Oliveira, de 5 anos, e da prisão de Joabe atraiu uma verdadeira multidão à porta de delegacia. Guardas Metropolitanos tentaram conter os ânimos, mas por pouco não foram arrancadas as grades que cercam o prédio. Só a chegada da Polícia Militar abrandou os manifestantes. Apesar de estar internada em estado do grave, a Luciana Michele de Oliveira Dorta, a funcionária do casal assassinado - Eliane Faria da Silva, 32 anos, e Leandro Donizete de Oliveira, 31 - encontra-se lúcida e reconheceu o serralheiro por uma foto. Segundo informações divulgadas por canais de televisão, Joabe Severino Ribeiro já esteve preso por roubos, cumpriu parte da pena e estava em liberdade. A polícia chegou até ele através das placas de um Kadett usado pelo criminosos, que foram anotadas por Luciana. Um cunhado do serralheiro, também envolvido no crime, foi preso nesta tarde. Um outro homem estaria sendo procurado pela polícia.Ele teria sido encontrado com queimaduras no braço e teria dito que se feriu na serralheria onde trabalha. A polícia divulgou que não foi constatado nenhum incêndio no local e que o soldador foi levado à delegacia, confessando a autoria do crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.