Morales pede, mas petista descarta cargo na ONU

Em Cúpula do Mercosul, presidente da Bolívia cita Lula para cargo; 'me dou por contente por ter sido presidente', reage ele

EVANDRO FADEL e TÂNIA MONTEIRO, ENVIADOS ESPECIAIS, O Estado de S.Paulo

18 de dezembro de 2010 | 00h00

Reverenciado pelos participantes da 40.ª Cúpula de Presidentes dos Estados Partes do Mercosul e Estados Associados, ontem, em Foz do Iguaçu, e lançado candidato à Secretaria-Geral das Nações Unidas pelo presidente da Bolívia, Evo Morales, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva descartou, mais uma vez, qualquer pretensão no cargo.

"Se virar moda presidente de países presidirem a ONU, daqui a pouco os Estados Unidos estão disputando, além do conselho de segurança, também o controle das Nações Unidas e aí ficará tudo mais difícil", disse.

Lula também descartou qualquer possibilidade de assumir cargo na União de Nações Sul-Americanas (Unasul). "Já me dou por contente por ter sido presidente do Brasil." A reunião foi a última de âmbito internacional em que o presidente participou - marcada por elogios dos demais participantes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.