Morre a baleia que estava encalhada no Rio

Depois de 76 horas de agonia e oito tentativas frustradas de resgate, a baleia jubarte que encalhou domingo na Praia do Forte de Imbuhy, em Niterói, Grande Rio, morreu no início da tarde desta terça-feira. Segundo biólogos, a causa mais provável da morte foi asfixia, provocada pela impossibilidade de respirar. A baleia ficou muito tempo de barriga para cima quando emborcou ao tentar se livrar das redes e estava com os pulmões comprimidos pelo próprio peso. O mamífero foi levado por um rebocador até o cais do Porto do Rio, no centro, e seria deixado num depósito de lixo municipal no Caju, zona portuária. Dois bombeiros ficaram feridos durante o resgate. A baleia, que pesava 10 toneladas e media 10 metros, apresentava vários ferimentos nas nadadeiras, no dorso e até perdeu sangue pelas vias respiratórias. "Ela estava sofrendo muito. Começou a ter espasmos e soltou sangue pelas narinas. A causa da morte foi por sufocamento", disse a bióloga Bernadete Fragoso, do Projeto Maqua, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (Uerj). Mais de 70 homens, entre biólogos e bombeiros, participaram da operação de resgate fracassada. Em uma das tentativas de puxar o animal para alto-mar, por meio de um rebocador da Petrobrás, uma das cordas se rompeu e atingiu dois bombeiros. Um estava com suspeita de ter deslocado o ombro e quebrado o braço e o outro feriu os dedos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.