Morre Abel Pedroso, fundador da rede de rádio Brasil

O comunicador Abel Pedroso foi enterrado nesta quinta-feira, no final da tarde, no Cemitério da Saudade, em Campinas. Ele morreu aos 91 anos de problemas cardíacos, nesta quarta-feira à noite, no Hospital Vera Cruz, onde estava internado há uma semana.Nos anos 1950 e 1960, Pedroso e dois irmãos montaram um dos mais ousados grupos de radiofonia do Estado de São Paulo. Os irmãos inauguraram em Campinas, a Rádio Brasil de Campinas, em 1950, e a Rádio Publicidade e Cultura, em 1956.Nos anos seguintes, montaram as emissorasBrasil de Valinhos, de Tupi Paulista, de Adamantina, de Americana, e de SantoAnastácio.A história da Brasil de Campinas foi marcada pela inovação, com retransmissões deeventos internacionais, como lutas de boxe e concurso de miss universo. O radialistaJosé Sidnei Bergantin narrou do estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, para a RádioBrasil de Campinas, a final do Mundial de Interclubes de 1963, em que o Santos sesagrou bicampeão.O slogan da Brasil de Campinas era ?Aqui não perde uma porque realmente está emtodas?. Parte das emissoras foram vendidas pelas famílias com o passar dos anos.Na década de 1960, Abel inaugurou o Jornal de Campinas, que circulou alguns anos e eradivulgado como o primeiro jornal colorido do País. As cores, entretanto, se limitavamaos riscos que separavam as reportagens.?Ele era um ótimo marqueteiro?, comentou o jornalista Moacyr Castro, que trabalhoucom Abel durante o período da ditadura, Recentemente, Abel ocupava o cargo dediretor-presidente do Grupo Cultura, formado pelas rádios Globo e CBN de Campinas. Deixa mulher e dois filhos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.