Morre delegado que provocou acidente ao dirigir embriagado em Minas

Acidente foi na terça-feira e Robson Paes não se feriu; ele pode ter sofrido um enfarte na quarta-feira

Marcelo Portela, O Estado de S. Paulo

07 Julho 2011 | 12h17

BELO HORIZONTE - O delegado Robson de Souza Paes, da Polícia Civil mineira, acusado de bater em cinco carros ao dirigir embriagado na noite de terça-feira, morreu na quarta-feira no hospital do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg), em Belo Horizonte. O policial havia sido internado no início do dia, com quadro de pressão alta. A principal suspeita é de que ele tenha sofrido um enfarte no início da manhã de quarta-feira.

 

Na noite de terça-feira, o delegado dirigia uma viatura descaracterizada da polícia e bateu em quatro carros e uma moto em Sabará, na região metropolitana da capital. As testemunhas afirmaram que, após o acidente, ele teve dificuldade para descer do veículo e, quando conseguiu, saiu cambaleando. As testemunhas disseram também que o delegado trafegava em alta velocidade quando perdeu o controle de seu carro.

 

Na ocasião, Robson, que não ficou ferido, se recusou a fazer o testo do bafômetro e foi retirado do local em uma viatura da Polícia Civil. No entanto, a ocorrência da Polícia Militar afirma que ele apresentava "fortes sintomas de embriaguez" e exame clínico feito no Instituto Médico-Legal (IML) de Belo Horizonte também confirmou a ingestão de bebida alcoólica.

 

O policial teve a carteira de habilitação apreendida, foi autuado em flagrante por embriaguez ao volante e a corregedoria da Polícia Civil havia aberto procedimento administrativo para apurar o caso. No ano passado, o delegado ficou desaparecido por dois dias, depois de cair com o carro em um barranco próximo a Santa Maria do Itabira, na região central de Minas, e só foi encontrado após conseguir se livrar das ferragens e buscar ajuda na estrada. O corpo de Robson deve ser encaminhado ao IML para confirmar a causa da morte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.