Reprodução
Reprodução

Morre dom Javier Echevarría, segundo sucessor do fundador do Opus Dei

Religioso estava com 84 anos e não resistiu a uma insuficiência respiratória

O Estado de S.Paulo

13 Dezembro 2016 | 18h21

Morreu em Roma, na noite desta segunda-feira, dom Javier Echevarría, bispo e segundo sucessor de José María Escrivá, fundador do Opus Dei. Ele estava com 84 anos e não resistiu a uma insuficiência respiratória.

Echevarría nasceu em Madri, em 1932, e na capital espanhola conheceu José María Escrivá de Balaguer, de quem foi secretário. Depois, em 1994, João Paulo II nomeou Echevarría prelado da Prelazia Pessoal do Opus Dei e, em 21 de novembro, lhe nomeou bispo e lhe atribuiu a sede titular de Cilibia. Em 6 de janeiro de 1995, ele recebeu a consagração episcopal das mãos do papa na Basílica de São Pedro.

O religioso tinha sido hospitalizado no dia 5 de dezembro por causa de uma "leve infecção pulmonar", segundo comunicado enviado pela Opus Dei. "O quadro clínico se complicou nas últimas horas, provocando uma insuficiência respiratória, o que ocasionou o falecimento".

A Opus Dei informou que, segundo os estatutos da prelatura, Monsenhor Fernando Ocáriz deve convocar no prazo de um mês um congresso para escolher o novo líder da instituição. Esse congresso deve ser realizado no prazo de três meses e a escolha deve ser posteriormente confirmada pelo papa Francisco.

PAPA LAMENTA A MORTE

Poucas horas após a confirmação da morte de Dom Javier Echevarría, o papa Francisco lamentou muito a "morte inesperada" do espanhol e reconheceu o seu "testemunho paternal e generoso".

Em um telegrama, o Papa expressou suas "mais profundas condolências" e desejou que o "fiel servo descanse a sua alegria eterna" e ainda lembrou que a morte de Echevarría foi no dia que os católicos celebram a Virgem de Guadalupe, padroeira da América.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.