Morre em São Paulo jovem que executou avô por dinheiro

O fotógrafo Pedro Augusto Franceschini, 24 anos, que matou com um tiro na cabeça o avô, o gerente aposentado Pedro Puccetti, 70 anos, durante uma discussão na terça-feira, 13, no Tatuapé, na zona leste de São Paulo, morreu no final da tarde de quinta-feira, 15. Ele estava internado em estado grave no Hospital do Tatuapé. Como fazia todas as semanas, ele foi às 14h30 de terça-feira ao apartamento pedir dinheiro ao avô. Aparentemente drogado e muito nervoso, ele não suportou esperar o avô pegar a quantia. Os gritos do rapaz, que exigia o dinheiro, chamaram a atenção da avó e da bisavó do fotógrafo, que dormiam em um dos quartos. Duas empregadas que estavam com as idosas ligaram para o 190 e chamaram a Polícia Militar. Antes, porém, deixaram aberta a porta da cozinha onde neto e avô brigavam.Franceschini baleou o avô na cabeça antes que os policiais pudessem atender a ocorrência. A tragédia se estendeu com a chegada da PM. O cabo da 1ª Companhia do 8º Batalhão, Fernando Matias Guimarães, deu voz de prisão a Franceschini, pela fresta da porta. Mas o fotógrafo reagiu atirando.A bala atingiu o armário da cozinha. Sem saber se o que ocorria ali era um assalto, o PM disparou e acertou a cabeça do fotógrafo.Ao entrar no apartamento, o policial encontrou o avô e o rapaz no chão. Os dois foram levados para o hospital. O avô de Franceschini morreu por volta das 17 horas, e foi enterrado quarta-feira, 14, no Cemitério do Tremembé, na zona norte de São Paulo. O rapaz será enterrado nesta sexta, provavelmente no mesmo local.

Agencia Estado,

16 de março de 2007 | 12h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.