Fernando Frazão/Agência Brasil
Fernando Frazão/Agência Brasil

Morre João W. Nery, primeiro homem trans a ser operado no Brasil

Escritor e psicólogo fez cirurgia de redesignação de gênero em 1977; ele sofria de câncer no pulmão e deixou esposa e um filho

O Estado de S.Paulo

27 Outubro 2018 | 17h59

SÃO PAULO - O escritor e psicólogo João W. Nery morreu na sexta-feira, 26, aos 68 anos. Nascido com o nome Joana, foi a primeira pessoa a passar por uma cirurgia de redesignação para o gênero masculino no Brasil, em 1977. Ele era ativista da causa LGBT e enfrentava um câncer no pulmão. 

Nery foi enterrado na tarde deste sábado, 27, no Cemitério São Francisco Xavier, no Rio de Janeiro. O psicólogo era casado com Sheila Salewski e tinha um filho. Ele contou parte da própria trajetória nos livros "Vidas Trans: A Coragem de Existir" (2017), da editora Astral Cultural, e "Viagem Solitária: Memórias de um Transexual 30 anos Depois" (2011), da editora Casa da Palavra.

Em 2018, ele contou ao 'Estado' como conseguiu tirar uma carteira de identidade masculina em plena ditadura militar, gesto que o impediu de continuar exercendo a profissão de psicólogo. "Para fazer um novo registro, do sexo masculino, fui ao cartório no peito e na marra e disse simplesmente que não tinha documento algum. Que precisava tirá-los.”

Artistas e ativistas LGBT postaram homenagens nas redes sociais. "João W. Nery foi um herói. Ousou ser o homem lutador que quis ser, e iluminou nosso planeta com sua masculinidade serena e afetuosa. Não será esquecido", escreveu a cartunista Laerte Coutinho.

Já o Instituto Brasileiro De Transmasculinidades se manifestou por meio de nota: "Sua luta não foi em vão João W. Nery... Continuaremos o que ele começou! Sempre na luta!"/Com informações da Agência Brasil

Mais conteúdo sobre:
transexualismoJoão W. Nery

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.