Morre jornalista que escreveu livro sobre condenado à morte no Brasil

O jornalista Fernando Escariz, de 50 anos, morreu nesta sexta-feira durante viagem de lazer que fazia a bordo de um transatlântico na costa sul brasileira. Ele passou quatro dias internado na enfermaria do navio depois de passar mal e não resistiu.Escariz foi um dos primeiros repórteres atrabalhar na sucursal de O Estado de São Paulo na Bahia, ingressando naempresa no inicio dos anos 70, inicialmente para elaborar matérias de esportes.Em 1986 ele se licenciou do jornal para trabalhar na campanha de governador de Waldir Pires, na época do PMDB. Depois de eleito, quando Waldir renunciou ao cargo em 1988 para disputar a eleição presidencial sendo vice do deputado Ulisses Guimarães, Escariz passou a atuar na equipe da assessoria de imprensa da campanhade presidente do PMDB.O jornalista voltou à sucursal do Estadão no inicio dos anos 90, mas, logo depois, deixou o jornal novamente para trabalhar como secretario decomunicação do prefeito de Salvador Fernando José Rocha. Nos últimos anos, Escariz atuava na empresa de assessoria de comunicação que criou,a Comunicar com sede em São Paulo.Nos anos 70 ele escreveu o livro "Por queTeodomiro fugiu", sobre o preso político Teodomiro Romeiro dos Santos, condenado àmorte pelo regime militar após ter assassinado um oficial do Exército. Teodomiro teve apena comutada e depois foi anistiado.Escariz deixa viúva e dois filhos. Seu corpo será sepultado às 11 horas deste sábado, noCemitério Jardim da Saudade, em Salvador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.