Morre jovem que injetou hormônio de gado como anabolizante

Morreu hoje, na UTI do Hospital de Base de Brasília, um dos seis estudantes que tentaram ganhar massa muscular injetando nas veias o hormônio nandrolona, substância usada ilegalmente na engorda rápida de gado.Jackson Vieira de Souza, de 21 anos, morador da cidade goiana de Padre Bernardo, localizada a 120 quilômetros da capital federal, teve falência do coração, do fígado, dos rins e dos pulmões. Na última quinta-feira, ele e mais cinco amigos aplicaram o hormônio, vendido em outros países com o nome comercial Estigor, além de óleo vegetal e vitaminas A, D, E e K nos braços. Menos de uma hora depois da bombástica aplicação já não conseguiam ficar de pé e respirar sem aparelhos.Quatro estudantes que injetaram a substância foram também hospitalizados, mas tiveram alta nos últimos dias. Pedro Henrique Gonzaga, 15 anos, está em coma induzido. O quadro clínico dele é estável, segundo os médicos. "São jovens que queriam ganhar massa muscular sem fazer exercícios físicos", disse o diretor do Hospital de Base, José Carlos Quinaglia.O médico salientou que Jackson pode ainda ter injetado a substância no sistema venoso, acelerando a intoxicação dos órgãos. "Quando essas substâncias são aplicadas nos músculos, o efeito é menor."O Hospital de Base registra um ou dois casos por mês de jovens que fizeram uso de hormônio nandrolona para aumentar os músculos. O médico explicou que só o consumo de carne bovina com nandrolona pode resultar, no caso dos homens, de câncer nos testículos e na próstata.Quinaglia relatou que a equipe médica que atendeu os jovens de Padre Bernardo avalia que Jackson deve ter injetado 25 ml de nandrolona em cada braço. "Isso já é uma dosagem alta para animais de grande porte", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.