Morre mais um bandido da quadrilha de Elias Maluco

O traficante identificado como Buda morreu na manhã de hoje no Hospital Getúlio Vargas, na Penha. Ele havia trocado tiros com policiais durante uma operação no fim da madrugada, na favela Vila Cruzeiro, e acabou baleado. Buda era gerente do traficante Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, principal acusado de ter assassinado o jornalista Tim Lopes, da Rede Globo. Buda era suspeito de ter incendiado um carro da Delegacia de Repressão a Entorpecentes, no ano passado, mas não há indícios da ligação do traficante com o caso Tim Lopes.Em apenas uma semana, três bandidos da quadrilha de Elias Maluco foram mortos pela polícia, dos quais dois são suspeitos de envolvimento na morte do jornalista Tim Lopes. O traficante André da Cruz Barbosa, o André Capeta, que tinha prisão provisória decretada, foi morto na última terça-feira, 13, na Vila Cruzeiro, com um tiro na cabeça. Na madrugada de quinta-feira passada, 8 de agosto, Maurício de Lima Matias, o Boizinho, outro acusado de participar do crime, foi morto pela polícia na favela de Vigário Geral, também zona norte do Rio. Outros dois acusados de envolvimento no caso do jornalista ainda estão foragidos: Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, e Renato de Souza Paulo, o Ratinho. Seis dos nove que tiveram prisão preventiva decretada por este crime estão presos. O último do bando a ser preso foi o traficante Silmar Martins Filho, o Mazinho, capturado no sábado passado, dia 10, também na Vila Cruzeiro. Mazinho responde a processo por tráfico de drogas há quatro anos e já havia sido acusado por mais um assassinato, o de um policial civil.O juiz Ivan Cury, do 1º Tribunal do Júri do Rio, havia decretado na última sexta-feira, 9 de agosto, a prisão preventiva de cinco dos acusados pela morte de Tim Lopes. Caso a medida não fosse adotada, os cinco suspeitos já detidos poderiam ter sido soltos, pois o prazo da prisão provisória terminava no sábado. Na ocasião, ele decretou a prisão de Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, Renato de Souza Paula, o Ratinho, e André da Cruz Barbosa, o André Capeta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.