Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Morre menina atingida por bala perdida em pátio da escola

A estudante Jéssica de Jesus Teixeira, de 8 anos, atingida por bala perdida quando brincava no pátio da escola, durante o recreio, na manhã de sexta-feira, morreu hoje à tarde, no Hospital Municipal Salgado Filho. Os médicos já haviam diagnosticado a morte cerebral no sábado. A família não quis doar os órgãos, acreditando numa chance de recuperação, mas o coração da menina parou de bater às 13h25.Jéssica pulava corda com as amigas no pátio da Escola Municipal Pernambuco, em Maria da Graça, na zona norte, quando foi atingida por um tiro na cabeça. Uma colega de Jéssica viu a menina caída e uma professora a socorreu. Somente no Hospital Salgado Filho soube-se que ela havia sido vítima de uma bala perdida.A polícia militar não registrou confrontos armados nas proximidades da escola e alunos e professores disseram que não ouviram o som de tiros. O delegado Emerson Franco da Rocha investiga se o disparo foi feito de dentro da escola - apesar de o colégio ficar a 500 metros da Favela do Jacarezinho, ele é cercado por um muro de cinco metros de altura, que não tinha marcas de perfuração. Hoje o corpo da menina foi levado para o Instituto Médico Legal para que a bala fosse retirada da cabeça. O projétil será submetido a exame de balística para que a polícia possa estimar a trajetória do tiro.Os pais de Jéssica, Hélio de Jesus Teixeira, de 38 anos, e Cláudia Maria de Paula, de 31, ficaram muito abalados com a confirmação da morte da menina. "Está todo mundo perdido. A gente mora numa área de risco, mas pensa que na escola a criança está segura. Você não cuida de um filho com tanto carinho para vê-lo morrer dessa forma", disse a madrasta de Teixeira, Leda Maria da Costa, de 53 anos. O casal tem outros quatro filhos, com idades entre 10 anos e quatro meses.Leda disse que a família ainda não decidiu se processará o Estado e a prefeitura pela morte de Jéssica. O enterro ainda não foi marcado. Até a tarde de hoje, a família aguardava a liberação do corpo pelo Instituto Médico-Legal (IML).

Agencia Estado,

08 de dezembro de 2002 | 16h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.